+55 11 3537-9795 contato@selecthost.com.br
cloud-ssd-brasil

CENTOS CLOUD CPANEL HOSPEDAGEM LINUX VPS Windows

SSD VS HDD: Qual a Diferença?

Posted By SELECT HOST

Você prefere espaço abundante e barato, ou velocidade e segurança?
Saiba como escolher um disco seu próximo disco!

Resultado de imagem para hdd vs ssd

A escolha é sua

Até recentemente, os usuários de PC não tinham muita escolha sobre o tipo de armazenamento a ser usado em
um laptop ou desktop.
Se você recentemente comprou um notebook ou PC provavelmente escutou alguma recomendação referente ao disco a ser usado.
Antigamente todos os desktop ou laptop tinham um disco rígido (HDD). Agora, você pode configurar a maioria dos sistemas com um HDD ou um SSD ou, em alguns casos, ambos. Mas como você escolhe? Explicamos as diferenças entre SSDs e HDDs (ou discos rígidos) e orientamos você pelas vantagens e desvantagens de cada um para ajudá-lo

Explicando HDD e SSD

HDD
O disco rígido giratório tradicional é o armazenamento básico não volátil em um computador.
Ou seja, as informações contidas nele não “desaparecem” quando você desliga o sistema, como é o
caso dos dados armazenados na RAM. Um disco rígido é essencialmente uma disco de metal com um revestimento
magnético que armazena seus dados, seja fotos, musicas, planilhas, arquivos de textos, filmes.
Um cabeçote de leitura / gravação em um braço acessa os dados enquanto o disco esta girando.

disco rigido pc

 

SSD
Um SSD faz funcionalmente tudo o que um disco rígido faz, mas os dados são armazenados em chips de memória flash interconectados que retêm os dados mesmo quando não há energia presente. Esses chips de memória flash são de um tipo diferente do usado em pen drives USB e são normalmente mais rápidos e confiáveis. Os SSDs são consequentemente mais caros que os pen drives USB com as mesmas capacidades. Como pen drives, muitas vezes eles são muito menores que os HDDs e, portanto, oferecem aos fabricantes mais flexibilidade na criação de um PC. Enquanto eles podem tomar o lugar dos compartimentos tradicionais de disco rígido de 2,5 polegadas ou 3,5 polegadas, eles também podem ser instalados em um slot de expansão PCIe ou até mesmo ser montado diretamente na placa-mãe, uma configuração que é comum em laptops de última geração.

Resultado de imagem para SSD

Veja a história dos discos

A tecnologia do disco rígido é relativamente antiga (em termos de história do computador, pelo menos). Há fotos bem conhecidas do disco rígido IBM 650 RAMAC, de 1956, que usaram 50 bandejas de 24 polegadas de largura para armazenar um enorme espaço de armazenamento de 3,75MB. Este, é claro, é o tamanho de um arquivo MP3 de 128Kbps em média hoje, no espaço físico que poderia conter dois refrigeradores comerciais. O RAMAC 350 limitava-se apenas ao uso governamental e industrial, e estava obsoleto em 1969. O progresso não é ótimo?

O fator de forma de disco rígido do PC foi padronizado em 5,25 polegadas no início dos anos 80, com as unidades de classe de notebook de 3,5 polegadas e de 2,5 polegadas logo em seguida. A interface do cabo interno mudou de serial para IDE (agora freqüentemente chamada de paralela ATA ou PATA) para SCSI para serial ATA (SATA) ao longo dos anos, mas cada um basicamente faz a mesma coisa: conecte o disco rígido à placa-mãe do PC os dados podem ser processados. As unidades de 2,5 e 3,5 polegadas atuais usam principalmente interfaces SATA (pelo menos na maioria dos PCs e Macs), embora alguns SSDs de alta velocidade usem a interface PCIe mais rápida. As capacidades aumentaram de vários megabytes para vários terabytes, mais de um milhão de vezes. Os discos rígidos atuais de 3,5 polegadas têm capacidades de até 10 TB, com unidades de 2,5 polegadas voltadas para o consumidor atingindo 4 TB.

O SSD tem um histórico muito menor. Sempre houve uma paixão por armazenamento ininterrupto desde o início da computação pessoal, com tecnologias como memória intermitente (trocadilho intencional) e morte nas décadas de 1970 e 1980. A memória flash atual é a extensão lógica da mesma ideia, pois não requer poder constante para reter os dados armazenados nela. Os primeiros drives primários que conhecemos como SSDs começaram durante a ascensão dos netbooks no final dos anos 2000. Em 2007, o OLPC XO-1usava um SSD de 1 GB, e o Asus Eee PC série 700 usava um SSD de 2 GB como armazenamento primário. Os chips SSD em unidades Eee PC de baixo custo e o XO-1 foram permanentemente soldados na placa-mãe. À medida que os netbooks e outros PCs portáteis ultraportáteis se tornaram mais capazes, as capacidades de SSD aumentaram e, eventualmente, padronizaram o fator de forma do notebook de 2,5 polegadas. Dessa forma, você pode tirar um disco rígido de 2,5 polegadas do seu laptop ou desktop e substituí-lo facilmente por um SSD. Outros formatos surgiram, como a placa mSATA Mini PCIe SSD, M.2 SSD nas variantes SATA e PCIe, e o armazenamento Flash de estado sólido semelhante a DIMM no Apple MacBook Air e MacBook Pro, mas hoje muitos SSDs ainda usam Fator de forma de polegada. A capacidade de SSD de 2,5 polegadas atualmente é de 4 TB, mas a Seagate oferece uma versão de 60 TB para dispositivos empresariais, como servidores.

Vantagens e desvantagens

Os SSDs e os discos rígidos fazem o mesmo trabalho: inicializam o sistema e armazenam seus aplicativos e arquivos pessoais. Mas cada tipo de armazenamento tem seu próprio conjunto de recursos exclusivos. Como eles diferem e por que você gostaria de ter um sobre o outro?

Preço: os SSDs são mais caros que os discos rígidos em termos de dólar por gigabyte. Um disco rígido interno de 2,5 cm custa entre US $ 40 e US $ 50, mas até o momento, um SSD com a mesma capacidade e formato inicial começa em US $ 250. Isso se traduz em 4 a 5 centavos por gigabyte para o disco rígido e 25 centavos por gigabyte para o SSD. Como os discos rígidos usam tecnologia antiga e mais estabelecida, eles permanecerão menos caros no futuro próximo. Essas centenas extras para o SSD podem elevar o preço do sistema acima do orçamento.

Capacidade Máxima e Comum: Embora as unidades SSD baseadas no consumidor tenham um máximo de 4 TB, elas ainda são raras e caras. É mais provável que você encontre unidades de 500 GB a 1 TB como unidades primárias nos sistemas. Enquanto 500GB é considerado uma capacidade de disco rígido “base” em 2018, as preocupações com preços podem levar isso a 128GB para sistemas baseados em SSD de preço mais baixo. Os usuários de multimídia exigirão ainda mais, com drives de 1 TB a 4 TB comuns em sistemas high-end. Basicamente, quanto mais capacidade de armazenamento, mais coisas você pode manter no seu PC. O armazenamento baseado na nuvem (Internet) pode ser bom para armazenar arquivos que você planeja compartilhar entre seu telefone , tablet e PC, mas o armazenamento local é mais barato e você só precisa comprá-lo uma vez.

Velocidade: é aqui que os SSDs brilham. Um PC equipado com SSD inicializará em menos de um minuto e, freqüentemente, em apenas alguns segundos. Um disco rígido requer tempo para acelerar as especificações operacionais e continuará sendo mais lento que um SSD durante o uso normal. Um PC ou Mac com um SSD inicializa mais rápido, inicia e executa aplicativos mais rapidamente e transfere arquivos mais rapidamente. Quer você esteja usando seu computador para diversão, escola ou negócios, a velocidade extra pode ser a diferença entre terminar no horário e falhar.

Fragmentação: Por causa de suas superfícies de gravação rotativas, os discos rígidos funcionam melhor com arquivos maiores que são colocados em blocos contíguos. Dessa forma, a cabeça da unidade pode iniciar e terminar sua leitura em um movimento contínuo. Quando os discos rígidos começam a encher, arquivos grandes podem se espalhar pelo disco, fazendo com que a unidade sofra com o que é chamado de fragmentação. Enquanto os algoritmos de leitura / gravação melhoraram ao ponto que o efeito é minimizado, os discos rígidos ainda podem se tornar fragmentados. Os SSDs não podem, no entanto, porque a falta de uma cabeça de leitura física significa que os dados podem ser armazenados em qualquer lugar. Assim, os SSDs são inerentemente mais rápidos.

Durabilidade: Um SSD não tem partes móveis, portanto, é mais provável que ele mantenha seus dados seguros no caso de você deixar cair a bolsa do laptop ou se o sistema for sacudido por um terremoto durante a operação. A maioria dos discos rígidos estaciona seus cabeçotes de leitura / gravação quando o sistema está desligado, mas eles estão voando sobre o prato da unidade a uma distância de alguns nanômetros quando estão em operação. Além disso, até mesmo os freios de estacionamento têm limites. Se você é rude em seu equipamento, um SSD é recomendado.

Disponibilidade: Os discos rígidos são mais abundantes em sistemas antigos e de baixo custo, mas os SSDs estão se tornando mais predominantes em laptops de última geração, como o Apple MacBook Pro, que não oferece HDDs como opção configurável. Os desktops e laptops mais baratos, por outro lado, continuarão oferecendo HDDs, pelo menos nos próximos anos.

Fatores de forma: Como os discos rígidos dependem de pratos giratórios, há um limite para o tamanho que podem ser fabricados. Houve uma iniciativa para fabricar discos rígidos menores de 1,8 polegada, mas isso está parado em cerca de 320 GB, uma vez que os fabricantes de phablet e smartphones optaram pela memória flash para armazenamento primário. Os SSDs não têm essa limitação, portanto, eles podem continuar diminuindo conforme o tempo passa. Os SSDs estão disponíveis em caixas de 2,5 polegadas para portáteis, mas isso é apenas por conveniência.

Ruído: Até o disco rígido mais silencioso emitirá um pouco de ruído quando estiver em uso a partir da rotação da unidade ou do braço de leitura, especialmente se estiver em um sistema que foi danificado ou se foi instalado incorretamente sistema de metal. Discos rígidos mais rápidos causam mais ruído do que aqueles que são mais lentos. Os SSDs praticamente não fazem barulho, já que são não mecânicos.

Potência: Um SSD não precisa gastar eletricidade girando um disco. Consequentemente, nenhuma energia consumida pelo SSD é desperdiçada com atrito ou ruído, tornando-os mais eficientes. Em um desktop ou em um servidor, isso levará a uma conta de energia mais baixa. Em um laptop ou tablet, você poderá economizar mais minutos (ou horas) de duração da bateria.

Longevidade : Embora seja verdade que os SSDs se desgastam com o tempo (cada célula de um banco de memória flash pode ser gravada e apagada um número limitado de vezes), graças à tecnologia de comando TRIM que otimiza dinamicamente esses ciclos de leitura / gravação, É mais provável que você descarte o sistema por obsolescência (depois de seis anos ou mais) antes de começar a executar erros de leitura / gravação com um SSD. Se você está realmente preocupado, há várias ferramentas que informam se você está se aproximando do fim de sua vida útil. Os discos rígidos acabarão por se desgastar também, já que usam métodos de gravação física. A longevidade é uma lavagem quando é separada das preocupações de viagem e robustez.

No geral: os discos rígidos ganham em preço, capacidade e disponibilidade. Os SSDs funcionam melhor se a velocidade, a robustez, o fator de forma, o ruído ou a fragmentação (tecnicamente parte da velocidade) são fatores importantes para você. Se não fosse pelos problemas de preço e capacidade, os SSDs seriam os vencedores.

Qual armazenamento certo para você?

 Então, um SSD ou HDD (ou um híbrido dos dois) atende às suas necessidades?

HDDs

• Entusiasta de usuários de multimídia e usuários de downloads pesados:Os colecionadores de vídeo precisam de espaço, e você só pode chegar a 4 TB de espaço a baixo custo com discos rígidos.
• Profissionais de artes gráficas e engenharia: editores de vídeo e fotógrafos gastam o armazenamento pelo uso excessivo. Substituir um disco rígido de 1 TB será mais barato do que substituir um SSD de 500 GB.
• Usuários gerais: As pessoas que preferem baixar seus arquivos de mídia localmente ainda precisarão de um disco rígido com mais capacidade. Mas se você transmitir suas músicas e vídeos on-line, comprar um SSD menor pelo mesmo dinheiro proporcionará uma experiência melhor.

SSDs
• Road warriors: As pessoas que empurram seus laptops em suas malas indiscriminadamente vão querer a segurança extra de um SSD. Esse laptop pode não estar totalmente suspenso quando você o fecha violentamente para pegar seu próximo vôo. Isso também inclui pessoas que trabalham no campo, como trabalhadores de serviços públicos e pesquisadores universitários.
• demônios velocidade: se você precisa de coisas feitas agora, gasta o dinheiro extra para inicialização rápida e lançamentos de aplicativos. Suplemento com um SSD de armazenamento ou disco rígido, se você precisar de espaço extra (veja abaixo).
• Artes gráficas e profissionais de engenharia:Sim, sabemos que precisávamos de discos rígidos, mas a velocidade de um SSD pode fazer a diferença entre completar duas propostas para o seu cliente e completar cinco. Esses usuários são os principais candidatos para sistemas de drive duplo (mais sobre isso abaixo).
• Engenheiros de áudio e músicos: Se você está gravando música, não quer que o som arranhado de um disco rígido seja invadido. Ir para SSDs mais silenciosos.

Drives Híbridos e Sistemas Dual-Drive

Em meados da década de 2000, alguns fabricantes de discos rígidos, como Samsung e Seagate, teorizaram que, se você adicionar alguns gigabytes de chips flash a um disco rígido giratório, obteria uma unidade “híbrida” combinando a grande quantidade de discos rígidos. capacidade de armazenamento com o desempenho de um SSD, a um preço apenas ligeiramente superior ao de um disco rígido típico. A memória flash atua como um buffer para arquivos usados ​​com freqüência, para que seu sistema tenha a capacidade de inicializar e iniciar seus aplicativos mais importantes mais rapidamente, mesmo que você não possa instalar diretamente nada nesse espaço. Na prática, as unidades híbridas funcionam, mas ainda são mais caras e mais complexas que os discos rígidos comuns. Eles funcionam melhor para pessoas como os guerreiros da estrada que precisam de muito espaço de armazenamento e de inicialização rápida. Desde que eles são um produto intermediário,

Em um sistema de drive duplo, o fabricante instalará uma pequena unidade primária de SSD (C 🙂 para o sistema operacional e aplicativos, e adicionará uma unidade de disco rígido maior girando (D: ou E 🙂 para armazenar arquivos. Isso funciona bem em teoria; Na prática, os fabricantes podem ficar muito pequenos no SSD. O proprio windows ocupa muito espaço na unidade principal e alguns aplicativos não podem ser instalados em outras unidades. Algumas capacidades também podem ser muito pequenas. Por exemplo, você pode instalar o Windows 10 em um SSD tão pequeno quanto 16 GB, mas haverá pouco espaço para qualquer outra coisa. Em nossa opinião, 120 GB a 128 GB é um tamanho mínimo prático para o drive C:, com 256 GB ou mais sendo ainda melhor. As preocupações com espaço são as mesmas que em qualquer sistema com várias unidades: você precisa de espaço físico dentro do chassi do PC para acomodar duas (ou mais) unidades.
Por último, mas não menos importante, um SSD e um disco rígido podem ser combinados (como o Voltron) em sistemas com tecnologias como o Intel® Smart Response Technology (SRT) ou o Fusion Drive da Apple.. Eles usam o SSD de forma invisível para atuar como um cache para ajudar o sistema a inicializar e lançar programas mais rapidamente. Como em uma unidade híbrida, o SSD não é diretamente acessível pelo usuário final. O SRT requer verdadeiros SSDs, como aqueles em formatos de 2,5 polegadas, mas esses drives podem ter até 16 GB de capacidade e ainda melhorar o desempenho; Como o sistema operacional não está sendo instalado diretamente no SSD, você evita os problemas de espaço na unidade da configuração de unidade dupla mencionada acima. Por outro lado, seu PC precisará de espaço para duas unidades, um requisito que pode excluir alguns laptops e desktops de formato pequeno. O Fusion Drive só está disponível em desktops Mac, por exemplo. Você também precisará do SSD e da placa-mãe do seu sistema para suportar a tecnologia de armazenamento em cache para que este cenário funcione. Tudo somado, no entanto, é uma solução interessante.

O armazenamento do amanhã

Não está claro se os SSDs substituirão totalmente os discos rígidos tradicionais, especialmente com o armazenamento em nuvem compartilhado nos bastidores. O preço dos SSDs está caindo, mas eles ainda são muito caros para substituir totalmente os terabytes de dados que alguns usuários têm em seus PCs e Macs.

Agora que já sabe a diferença escolha seu cloud na Select Host.

Mais espaço menos desempenho – https://www.selecthost.com.br/cloud-server

Mais desempenho menos espaço – https://www.selecthost.com.br/cloud-server-ssd

Read More
Alterar porta ssh no Centos 7

CENTOS CLOUD LINUX VPS

Alterar porta ssh no Centos 7

Posted By SELECT HOST

1º Instalar o firewall
yum install firewalld

2º iniciar o serviço
systemctl start firewalld

3º Modifique a porta padrão para porta de sua escolha, vou usar a porta 1616
vim /etc/ssh/sshd_config

4º Libere porta no iptables
firewall-cmd –permanent –zone=public –add-port=1616/tcp

5º Carregue o arquivo modificado
firewall-cmd –reload
systemctl restart sshd

6º Faça o teste antes de fechar o terminal!
Abra outro terminal e tente fazer a conexão, se não conseguir alguma coisa deu errado, repita os procedimentos acima novamente, se conseguiu basta fechar o terminar o terminal e acessar através da porta nova.

Read More

LINUX UBUNTU

Como instalar Ubuntu Server

Posted By SELECT HOST

Passo 1. Inicie o computador pela mídia de instalação do Ubuntu Server;
Passo 2. Na primeira tela, escolha a linguagem “Português do Brasil”;

image19

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 3. Na tela seguinte, escolha a opção “Instalar o Ubuntu Server”;

image18

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 4. Você será avisado que a tradução do instalador para nossa língua ainda não está completa. Para prosseguir, use as setas do teclado e selecione a opção “Yes” e tecle “Enter”

image17

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 5. Em “Configure o teclado”, selecione o país de origem para o layout do seu teclado e tecle “Enter”. No exemplo desse tutorial (um teclado ABNT2), será usada a opção “Portuguese (Brasil)”;

image16

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 6. Na tela a seguir, escolha  um layout que corresponda ao do seu teclado físico e confirme teclando “Enter”;

image15

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 7.  Informe um nome para identificar o computador na rede. Depois vá para a opção “Continuar” e tecle “Enter”;

image14

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

passo 8. Agora digite o nome real do usuário que usará o servidor. Depois vá para a opção “Continuar” e tecle “Enter”;

image13

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 9. Na próxima tela digite o nome que esse usuário irá utilizar para fazer login no servidor;

image12

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 10. No próximo passo, digite a senha desse usuário. Na tela seguinte, digite novamente a senha e depois vá para a opção “Continuar” e tecle “Enter”;

image11

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 11. Quando questionando se deseja criptografar a pasta pessoal, responda “Não” e continue;

image10

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 12. O instalador irá descobrir e mostrar o fuso horário de sua localização. Se tudo estiver certo, confirme e continue;

image09

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 12. O instalador irá descobrir e mostrar o fuso horário de sua localização. Se tudo estiver certo, confirme e continue;

image08

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 14. Selecione o disco a ser particionado usando as setas do teclado e tecle “Enter” para continuar;

image07

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 15. Será mostrado o esquema de particionamento, confirme para continuar;

image06

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 16. Será pedido informações sobre o proxie de sua rede, preencha ou deixe em branco se não for necessário informar e depois vá para a opção  “Continuar” e tecle “Enter”;

image05

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 17. Será perguntado se o servidor receberá as atualizações automaticamente ou não. Escolha a opção mais conveniente e tecle “Enter” para continuar;

image04

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 18. Marque o serviço que deseja instalar no servidor e depois vá para a opção “Continuar’ e tecle “Enter”;

image03

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 19. Na tela de instalação do GRUB, apenas escolha a opção “SIM” (se for o caso) e tecle “Enter”;

image01

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passo 20. Será mostrada uma tela confirmando o fim da instalação. Vá para a opção “Continuar” e tecle “Enter”. Quando o computador reiniciar, retire a mídia de instalação;

image02

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pronto. O Ubuntu Server está instalado e agora você já pode instalar novos programas e configurá-lo para ficar do jeito que for mais conveniente para as suas necessidades.

 

Fonte: Blog Edivaldo Brito

Read More

CLOUD LINUX Windows

Cloud x VPS: Qual a melhor opção.

Posted By SELECT HOST

Os conceitos de VPS e Cloud podem ser explicados com facilidade por quem entende do assunto. Basicamente, Cloud é um ambiente escalável (ou seja, flexível) que permite que aplicações e dados possam rodar dentro de um servidor com espaço mais do que suficiente para tais aplicações. Sim, esse é um recurso robusto e que permite que sites com grandes números de acessos não sofram com possíveis variações de visitas; grandes empresas podem revender produtos como a própria hospedagem (é o caso de muitas revendas, por exemplo). Isso tudo exige dedicação no que diz respeito à manutenção, e no que diz respeito à própria utilização desses sistemas. https://www.selecthost.com.br/cloud-server

A grande diferença entre Cloud e VPS é essa. Nós da SelectHost, vendemos o Cloud como um pacote que garante não só o ambiente perfeito para suas aplicações, sites, dados, etc. Nós garantimos também um suporte à altura do produto. Profissionais altamente capacitados para garantir que qualquer problema que possa existir nos servidores que suportam os clientes de cloud, seja resolvido com o máximo de urgência, fazendo com que os clientes que estão na outra ponta sequer sintam que houve qualquer tipo de queda, por exemplo.

Já no caso do VPS, todo suporte é igual ao cliente é igual mas o sistema de virtualização se limita somente ao sistema operacional Linux, e não é um ambiente escalável. https://www.selecthost.com.br/vps

A grande confusão é feita quando o cloud é apresentado não só como uma solução robusta – que é. Mas também é apresentado como algo que serve somente a empresas de grande porte. Ao contrário disso, o cloud serve para que você possa hospedar seu site, sua aplicação, seu sistema de ER, etc. com a segurança de contar com nossas equipes de suporte monitorando o seu ambiente 24 horas por dia.

Read More

CENTOS CLOUD CPANEL HOSPEDAGEM LINUX

Como modificar página de suspensão no WHM

Posted By SELECT HOST

Olá parceiros e clientes da Select Host,

Hoje vamos deixar uma tutorial de como alterar a página de suspensão do WHM.

  1. Acesse o painel como usuário root.

login.fw

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2. Procure pela opção Funções de conta.

funcoes_deconta.fw

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3. Depois ‘Modificar página de conta suspensa’

modificar.fw

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4. Modifique o código html depois clique em Save.

html.fw

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Até o próximo post.

Compartilhe em suas redes sociais.

Read More

POSTGRE Windows

Como instalar o PostgreSQL no Windows

Posted By SELECT HOST

Olá amigos e clientes da Select Host,

Neste tutorial vamos mostrar com baixar e instalar o SGBD PostgreSQL no Microsoft Windows.

Baixar o instalador do software no Windows

Baixe o instalador do PostgreSQL a partir da seguinte página da web: http://www.postgresql.org/download/windows/. Clique no link “Download the installer from EnterpriseDB for all supported versions” e escolha  a versão desejada para seu sistema. A mais recente, quando da criação deste tutorial, é a 9.5. Note que há versões para sistemas de 32 e 64 bits disponíveis na página – selecione de acordo com sua versão do Windows.

Após baixar o software instalador, vamos proceder à instalação propriamente dita.

Instalar o PostgreSQL

1 – Após baixar o instalador, entre na pasta onde o arquivo foi salvo e dê um clique duplo nele para iniciar o processo de instalação. Você verá a janela a seguir:

01-instalar-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Clique em Next para prosseguir.

2 – Na tela seguinte selecione o local de destino da instalação (vou manter a pasta padrão) e clique em Next para prosseguir:

02-diretório-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3 – Na tela seguinte escolha o diretório onde os dados serão armazenados (vou manter o padrão também) e clique em Next:

03-diretório-dados-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4 – Agora entre com uma senha para o superusuário do banco de dados (postgres), repita-a na caixa de confirmação, e clique em Next para continuar:

04-senha-usuário-postgres-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5 – Agora entre com o número da porta que o servidor escutará. Você pode deixar a porta padrão 5432 se desejar. Clique em Next.

05-porta-servidor-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

6 – Na tela seguinte selecione o locale a ser usado pelo servidor. Provavelmente será “Portuguese, Brazil” . Clique em Next.

06-locale-servidor-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

7 – O instalador está pronto agora para realizar as tarefas de instalação. Clique em Next para prosseguir:

07-pronto-instalação-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

8 – Aguarde enquanto a instalação é realizada:

08-instalando-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

9 – Instalação realizada com sucesso! Desmarque a opção “Launch Stack Builder at exit?”, pois não vamos instalar ferramentas adicionais no momento, e clique em Finish para encerrar o instalador:

09-instalação-realizada-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vamos agora verificar se a instalação foi executada sem problemas e se o PostgreSQL está rodando.

Verificando a instalação

Para verificar a instalação do sistema, vamos efetuar uma conexão a ele. Há várias formas de se realizar essa tarefa, e a mais fácil é usando o utilitário pgAdmin III. Você irá encontrá-lono menu de atalho criado pelo instalador. Abra-o:

10-testando-instalação-pgAdmin-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

Aí está a tela do pgAdmin III:

11-pgAdminIII-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Agora dê um clique-duplo sobre o item PostgreSQL 9.5 no Object Browser (lado esquerdo da tela), e entre com a senha do superusuário na caixa de diálogo que irá aparecer. Clique no botão OK.

12-pgAdminIII-senha-postgresql

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Se tudo tiver corrido bem, serão exibidos na janela os objetos pertencentes ao servidor:

13-pgAdminIII-postgresql-executando

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Até a próxima 😀

Read More

CENTOS CLOUD CPANEL HOSPEDAGEM LINUX

Proteger diretório com senha.

Posted By SELECT HOST

Olá amigos e clientes da Select Host,

Hoje iremos ensinar como trazer mais segurança para os diretórios de seu site.

Acesse seu painel administrativo do Cpanel e navegue até “Gerenciador de Arquivos” ou “File Manager”
foto1.fw

 

 

 

 

Escolha o diretório que deseja proteger, clique com botão direito do mouse em cima e clique em “Password Protect”

foto2.fw

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando um usuário tentar acessar o diretório protegido por meio de um navegador, o site solicitará que ele insira um nome de usuário e uma senha. O nome escolhido para o diretório protegido também será exibido.

 

Até a próxima. 😀

Read More

CENTOS CLOUD CPANEL HOSPEDAGEM LINUX

SMTP

Posted By SELECT HOST

O protocolo SMTP (Simple Mail Transfer Protocol), que pode ser traduzido como Protocolo Simples de Transferência de Correio, é o processo por trás de quase todo fluxo de e-mail na internet. Esse processo de entrega de e-mail é praticamente igual ao correio clássico, e nesse processo o SMTP age mais ou menos como o carteiro. Assim que as mensagens são apanhadas, são enviadas para ele, que trata de entregar os e-mails concretamente aos seus destinatários.

Veja abaixo o caminho que uma mensagem faz do seu computador até o destinatário:

• Você envia um e-mail, utilizando o seu cliente de e-mail (exemplo: mark@website.com) para um destinatário (exemplo: jane@domain.com);

• A mensagem é enviada para o servidor SMTP (com o nome, por exemplo, mail.website.com). Lá ele começa uma breve “conversa” com o servidor, onde são verificados todos os dados relativos à transmissão da mensagem (remetente, destinatário, domínios, etc.). Perceba que a linguagem SMTP define apenas a transmissão da mensagem, e não lida com o seu conteúdo;

• Então, basta que o domínio (onde o seu destinatário tem a conta) esteja diretamente conectado ao servidor para que o e-mail seja entregue imediatamente;

• Caso a conta não esteja diretamente conectada, o SMTP fará um relay (transferência do e-mail para outro servidor mais próximo do destinatário). Em outras palavras, o servidor do Website conecta-se ao servidor de Domínio, que recebe o e-mail e o guarda;

• Se não houver problemas, o segmento final é controlado por POP, outro protocolo que pega o e-mail do servidor de recepção e coloca-o na caixa de entrada do destinatário;

A palavra SMTP também é muito usada para falar de plataformas de e-mails transacionais, e é aí que vem a pergunta: qual a diferença do protocolo SMTP para a plataforma de e-mails transacionais?

Diferente do protocolo, os e-mails transacionais servem como uma espécie de resposta automática do sistema para uma ação ou transação realizada. São muito utilizados por empresas que enviam estes e-mails quando o cliente realiza uma compra. Isso mantem o cliente atualizado a cada etapa da transação como: o pagamento aprovado, o pedido enviado e o produto entregue. Outra utilização comum é quando o cliente esquece a senha. Neste caso, um e-mail é enviado imediatamente, com os procedimentos para recuperá-la.

Read More

CENTOS CPANEL LINUX

Como alterar o idioma do Cpanel

Posted By SELECT HOST

Olá amigos e clientes da Select Host,

Hoje vamos ensina-los como alterar o idioma do seu painel Cpanel.

1. Clique em Configuração do Servidor

1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2. Ajustar Configurações

2

 

 

 

 

 

 

 

3. Vá até a aba System

3

 

 

4. Procure Server Locale, e escolha o idioma que deseja.

4

 

 

Até o próximo post. 😉

Read More

CENTOS CLOUD LINUX VPS

Como alterar porta de acesso ao SSH no CentOS

Posted By SELECT HOST

Olá,

Amigos, clientes e parceiros da Select Host, hoje vamos deixar um tutorial explicando como alterar a porta do SSH no CentOS.

Primeiro acesse sua máquina com CentOS utilizando o PuTTY – a porta padrão do SSH é 22

Após logar execute os comandos abaixo:

# cd /etc/ssh

# ls

# emacs sshd_config (Caso você não possua o o editor emacs instalado # yum install emacs)

Procure a linha:
#Port 22 
e altere ela para:
Port 2054

2054 é um exemplo coloque a porta que quiser.

Salve o arquivo: Ctrl + x + c (yes)

# service sshd restart

# cd ..

# cd /etc/sysconfig

# emacs iptables

Procure a linha: -A INPUT -p tcp -m state –state NEW -m tcp –dport 22 -j ACCEPT

Altere para:  -A INPUT -p tcp -m state –state NEW -m tcp –dport 2054 -j ACCEPT

Salve o arquivo: Ctrl + x + c (yes)

# service iptables restart

Porta alterada, agora você tem muito mais segurança para seu servidor ou vps.

Read More

Proudly powered by WordPress Theme: Mediaphase Lite by ThemeFurnace.